Assinatura RSS

Resenha: Morte na mesopotâmia

Publicado em

Sinopse:

No sítio arqueológico de Tell Yarimjah, às margens do rio Tigre, a enfermeira Amy Leatheran recebe a missão de cuidar da frágil e enigmática Louise Leidner, esposa do arqueólogo-chefe. Em meio à sinistra atmosfera e ao bizarro comportamento dos membros da expedição, a tarefa aparentemente simples é interrompida por um intrigante assassinato. Quando tudo indica que o crime permanecerá impune, a polícia local solicita a colaboração do extraordinário Hercule Poirot, de passagem em terras iraquianas. Posto à prova no exótico cenário, o arguto detetive belga enfrenta o desafio de desvendar um de seus casos mais insólitos.

11256842_1614575485496832_8888767885987663696_n

Resenha, Entre ácaros e páginas:

O livro é narrado pela enfermeira Amy Leatheram, contratada pelo dr. Leidner para acompanhar a personagem Louise Leidner, sua esposa, que aparentemente está passando por problemas psicológicos e se sentindo perseguida, ela diz receber cartas anônimas com ameaças, mas seu marido acredita que ela esteja apenas passando por momentos difíceis e por isso não leva muito a sério os problemas da mulher.

No começo eu achei o livro um pouco entediante, mas depois, mais precisamente quando a enfermeira chega na casa dos arqueólogos, comecei a acha-lo bem interessante. Tudo ia muito bem, até eu começar a me confundir com o excesso de personagens que a história contém, muitos deles totalmente desnecessários, parecia que eles estavam ali apenas para aumentar o número de suspeitos, mas continuei minha leitura, curiosa com o final.

Poirot só chega na história na página 86, praticamente no meio do livro, e eu senti que a história não mostra muito os seus métodos de investigação, mostrando mais o ponto de vista da enfermeira, mesmo assim a autora consegue deixar os leitores curiosos com o final. E então veio o tão esperado desfecho, não me julguem, mas eu detestei, Poirot começa reunindo todos em uma sala, (okay, até ai tudo normal) e então se começa o capítulo ”O começo de uma viagem” um capítulo de exatamente 26 páginas, apenas com a fala de Poirot, apresentando TODOS os personagens e os motivos que cada um teria para assassinar Louise (acho que eu esqueci de mencionar que Louise foi assassinada misteriosamente) bom, um capítulo longo com histórias totalmente desnecessárias, até pulei alguns parágrafos pois estava ficando entediada, mas para minha surpresa (e decepção) o assassino não foi revelado nesse capítulo, sendo solucionada a história apenas nas páginas seguintes (bem perto do final do livro). Enfim, achei o final meio sem pé nem cabeça, não sei se foi porque eu já estava entediada com 26 páginas de textos e textos sem utilidade alguma, não gostei do livro, embora ele tenha me prendido em algumas partes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: